Dimitri Vieira
This is Us: uma verdadeira aula de Storytelling em forma de série
This is Us: uma verdadeira aula de Storytelling em forma de série

This is Us: uma verdadeira aula de Storytelling em forma de série

Para aprender mais sobre storytelling, um das melhores formas é desconstruir e analisar seus conteúdos preferidos. Isso vale para artigos, músicas, filmes e também séries.

Entre os conteúdos disponíveis atualmente, a série da NBC This is Us é uma das melhores fontes de aprendizado sobre a arte de contar histórias.

Caso seja familiar com storytelling e não conheça a série, prometo evitar spoilers e deixar você curioso o bastante para pesquisar pelo primeiro episódio assim que terminar a leitura.

Se conhece This is Us, mas não entende muito sobre storytelling, este artigo vai deixar claro por que você gosta tanto da série e se identifica tanto com os personagens.

Agora, se você tem familiaridade com os dois, aproveite a leitura. Será uma forma de relembrar alguns dos melhores momentos da série e ainda aprender mais sobre a arte de contar histórias.

Antes de falar da série, vale a pena relembrar:

O que é storytelling?

Storytelling é a técnica de contar e desenvolver histórias em conteúdos capazes de engajar o seu leitor, proporcionando enorme identificação ao despertar uma conexão em nível emocional e transmitindo uma mensagem de maneira inesquecível.

Como a indústria pop trabalha com essa técnica constantemente, ela acaba sendo uma das melhores fontes de estudo sobre storytelling.

Ao desconstruir e estudar sua série preferida, por exemplo, você vai entender quais foram as técnicas de narrativa usadas que despertaram seu interesse e identificação.

É isso o que faremos com This is Us agora:

Uma breve sinopse

A série é uma verdadeira crônica que nos permite acompanhar a vida de uma família formada por três crianças — que nasceram no mesmo dia — e seus pais.

Simplesmente isso. Nada de super-heróis, agentes secretos, investigadores ou misticismo. E esse é o primeiro grande acerto de This is Us.

Personagens realistas

Quanto menos romantizado o storytelling, maior será a chance de despertar interesse e identificação por parte do interlocutor.

” A estória é uma metáfora para a vida. Um contador de estórias é um poeta, um artista que transforma o viver diário, a vida interna e externa, sonho e realidade em um poema cujo esquema são eventos ao invés de palavras — uma metáfora que diz: a vida é assim! ( Robert McKee, Story)”

Ao contrário do que a tradução ao pé da letra do termo nos faz pensar, a arte de contar histórias não é simplesmente o ato da narrativa, mas como as histórias são contadas.

Quando trabalhada corretamente, essa técnica é capaz de fazer seu leitor viver (ou reviver) os momentos descritos.

Assim, um dos grandes desafios de um storyteller é levar o seu interlocutor voluntariamente a “locais” em que ele jamais iria. Isto é, relembrar momentos fortes capazes de proporcionar grandes reflexões.

This is Us faz isso com maestria ao mostrar de forma extremamente realista os personagens enfrentando dilemas da vida, como:

  • insatisfação com a carreira;
  • estresse no trabalho;
  • sentir-se deslocado;
  • lutar contra a balança;
  • depressão;
  • amor;
  • e luto pela perda de entes queridos.

Os sonhos dos personagens nem sempre se realizam. Nós acompanhamos toda a jornada e os assistimos falhar, simpatizamos com a história e aprendemos lições valiosas.

“Gosto de pensar que um dia será um velho como eu, falando na orelha de um jovem, explicando  como você pegou o limão mais azedo que a vida te ofereceu e o transformou em algo parecido com limonada. 

Mas o principal acerto da série, em termos de storytelling, é quebrar a ordem cronológica dos eventos.

Estrutura narrativa não linear

Quando uma história é contada em estrutura linear, seu contador enfrenta um paradoxo de já ter vivido tudo o que ele narra sem poder assumir isso ao seu leitor.

Mas, ao romper com essa estrutura, ele assume claramente que se trata de histórias e o narrador pode então abraçar tranquilamente o papel de storyteller — o que rende maior autoridade e realidade aos eventos.

Embora não haja um personagem responsável pela narrativa, cada episódio acaba seguindo mais de perto um ou dois personagens e, assim, acompanhamos o desenrolar das histórias pelas suas perspectivas.

Essa quebra da linha temporal ainda permite outras vantagens que contribuem com o sucesso da série:

Os personagens morrem, mas não deixam de existir

Trata-se de histórias, não é? Assim, alguns personagens morrem, os demais enfrentam o luto pela sua perda, mas podem sempre relembrar e reviver os momentos quando ainda estavam vivos.

“Um homem conta as suas histórias tantas vezes que ele se torna suas histórias. Elas continuam vivas após ele partir e, dessa forma, ele se torna imortal. ( Peixe Grande )”

Dessa forma, a audiência não precisa se despedir de nenhum personagem da série, embora também enfrente o luto.

Por último, vem o principal destaque de This is Us.

A série dá pistas de vários acontecimentos e, em alguns casos, chega a anunciá-los previamente — como ocorre com a morte de um dos protagonistas. Ainda assim, ela prende quem está assistindo pela curiosidade de acompanhar o desenvolvimento das histórias.

O principal atrativo é o próprio storytelling

Em diversos momentos, você sabe exatamente o que vai acontecer e, mesmo assim, a série continua sendo surpreendente. Seu atrativo passa a ser compreender como as coisas se desenvolveram para chegar ali e como os eventos vão se desenrolar a partir de então.

Dessa forma, This is Us transforma-se numa verdadeira aula de storytelling, pois o que cativa e captura os fãs e espectadores não são os acontecimentos em si, mas como eles são contados e descritos.

Por fim, é claro que existem vários filmes e séries que também funcionam como lições de como se contar uma boa história. Mas, com a profundidade e a naturalidade de This is Us, não me recordo. Se lembrar de algum exemplo, é só dizer nos comentários!

Quem sabe não rende um próximo artigo?


*Artigo originalmente publicado em comunidade.rockcontent.com.

Dimitri Vieira

Dimitri Vieira

Sou um escritor e produtor de conteúdo, especializado em Escrita Criativa, Storytelling e LinkedIn para Marcas Pessoais. Minhas maiores paixões sempre foram a música, o cinema e a literatura. Escrevendo textos na internet, consegui unir o melhor desses três universos, e o que era um hobby acabou me transformando em LinkedIn Top Voice e, hoje, se tornou minha profissão.

Gostou do texto? Então, compartilhe.

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

E para receber os próximos textos em sua caixa de entrada, inscreva-se na Newsletter gratuita.

Leia também:

Comentários