Dimitri Vieira
estratégia digital linkedin
estratégia digital linkedin

Estratégia digital no LinkedIn: quais são as principais e como fazer

Acredito que você tenha chegado a este artigo por saber que ter um perfil ativo no LinkedIn é importante, mas talvez ainda tenha dificuldades em como usá-lo a ponto de conseguir alcançar as suas metas pessoais e profissionais. Para isso, é preciso construir uma estratégia digital no LinkedIn.

Assim, além de apresentar os motivos para ter o LinkedIn como canal estratégico, também trago aqui os conceitos das principais táticas na rede e como praticá-las. Vem comigo!

Razões para usar o LinkedIn como estratégia de marketing pessoal

Ainda é comum algumas pessoas verem o LinkedIn como uma espécie de “currículo online”, mas ele é muito mais do que isso

Por se tratar de uma rede profissional, é a mais apropriada para você trabalhar a sua marca pessoal, independente do seu objetivo ser se tornar um influencer, aumentar a qualidade do seu networking ou conseguir um emprego melhor na sua área.

Sendo assim, seguem algumas razões que justificam estar presente no LinkedIn:

No entanto, para conquistar o que você quer, é preciso montar uma estratégia.

6 tipos de estratégia digital no LinkedIn

Separei aqui as principais táticas para você começar a colocar em prática no seu LinkedIn. 

1. Identifique o seu público-alvo

Uma etapa bem importante da estratégia digital no LinkedIn é identificar o público com quem você vai se conectar. Afinal, ele varia de acordo com a sua área de atuação e os objetivos dentro da rede.

Se você trabalha com redação e usa o LinkedIn para prospectar trabalhos freelancers, é essencial captar o público que tenha interesse no seu serviço de produção de textos. Caso queira se tornar alguém de influência no seu nicho, precisa atrair pessoas interessadas nele e entregar conteúdos de valor a elas.

Um dos caminhos mais efetivos para tecer uma boa comunicação com o seu público-alvo é a partir de uma persona. Trata-se de um personagem semi-fictício que representa a sua audiência como um todo. 

Assim, uma vez que a persona está criada, fica mais fácil identificar quais tipos de assuntos despertam o interesse das pessoas que você quer atingir no LinkedIn e também para criar conteúdos que sejam úteis e relevantes.

Você pode usar ferramentas gratuitas como esta para criar a sua persona que, por ser a base de toda estratégia de Marketing Digital, também poderá ser utilizada para outros canais como blog posts, redes sociais, podcasts e vídeos.

2. Crie conexões estratégicas

A princípio, quando criamos uma conta no LinkedIn, é comum adicionarmos amigos, colegas da faculdade e do trabalho. Alguns até mesmo aparecem como sugestão para você adicionar. Porém, eles fazem parte do público que você quer atrair? 

Se a resposta for “não” (o que ocorre na maioria dos casos), é hora de começar a criar conexões estratégicas.

Para se tornar uma autoridade na sua área de atuação, é fundamental seguir as pessoas que já alcançaram esse status. Por isso, peça para adicioná-las como conexões no seu LinkedIn. Claro que você deve enviar uma mensagem de apresentação antes de fazer a solicitação.

 Criar conexões com pessoas que trabalham nas empresas onde você gostaria de fazer parte (sobretudo os líderes e gestores de RH) também pode ser um caminho bem estratégico.

Lembre-se também que o LinkedIn é muito vasto, pois conta com mais de 830 milhões de usuários em todo o mundo. Logo, se você quiser fortalecer a sua marca por lá, é importante estar conectado não apenas a pessoas do seu nicho, mas também a diversas outras que são influentes e podem inspirar você a ter tanto sucesso quanto eles.

3. Esteja por dentro das tendências do seu nicho para criar conteúdos

Muitas pessoas navegam pelo feed do LinkedIn para saber as últimas novidades, não apenas de quem elas seguem, mas também do mercado em que atuam. Por isso, é recomendável estar de antenas ligadas ao que anda acontecendo na sua área.

Acompanhar sites e portais de notícias, além de criar alertas do Google para determinados temas, ajudam a manter você a par das atualidades. Compartilhar esses links no feed acompanhados da sua opinião como alguém que entende bem do assunto certamente chamará a atenção de quem segue o seu perfil.

Na hora de criar os seus próprios conteúdos no formato de artigos na plataforma, o uso de ferramentas que apontem as maiores tendências na internet sobre variados tópicos também é recomendável.

O Google Trends é a principal delas, pois permite que você insira um tema e confira se está em alta nas buscas online. Outra muito interessante é o Answer The Public que, a partir de uma palavra-chave, é capaz de apresentar diversas ideias relacionadas que podem servir como base para a produção dos seus artigos.

4. Monte um calendário editorial (e o siga à risca)

Criar conteúdos no LinkedIn também é parte integrante da estratégia, pois eles chamam a atenção do seu público, comprovam os conhecimentos que você tem sobre a sua área, e ampliam as chances de outras pessoas quererem se conectar a você após encontrar um artigo seu ao realizar uma busca dentro ou fora da plataforma (como no Google, por exemplo).

Contudo, quais tipos de conteúdo você deve publicar? Em quais dias e horários? Com qual frequência? Para ter as respostas dessas perguntas, você deve montar o calendário editorial.

Ele pode ser criado até mesmo em uma planilha do Google Drive, contanto que suas linhas e colunas organizem os pontos levantados nas perguntas acima. Dessa forma, você pode começar a semana, por exemplo, organizando quais conteúdos irá produzir e postar, como se fosse uma agenda.

Se os seus dias são muito corridos a ponto de você não conseguir produzir todos os dias, recomendo separar um dia e período mais tranquilo da semana para criar todas as postagens de uma só vez. 

Mas atenção: a tentação de sabotar o calendário editorial é grande quando precisamos fazer a sua gestão sozinhos. Afinal, toda vez que surge algum contratempo, tendemos a deixá-lo ara depois e isso pode se tornar uma constância no seu dia a dia.

Então, respeite ao máximo o calendário e siga à risca as tarefas que você determinou para si. 

5. Participe das postagens de pessoas influentes na rede

Assim como o seu público curte, deixa comentários e compartilha as suas publicações, você deve fazer o mesmo nas postagens de terceiros. Porém, como este artigo é sobre estratégias no LinkedIn, tenha em mente que sua participação também deve ser feita de maneira tática.

Vejamos um exemplo hipotético para firmar bem a forma certa de fazer isso. João da Silva é gerente de marketing de uma média empresa que viu o tráfego do site cair após uma atualização do algoritmo do Google. Ele, então, postou no seu feed:

“Ao vermos o desempenho cair depois do último update do Google, reuni a equipe de marketing e fizemos uma força-tarefa para montar uma auditoria do site. Levantamos os pontos que devem ser melhorados e cada um ficou responsável por uma otimização. Três meses se passaram e começamos a recuperar nossas posições. Parabéns, time!”

A postagem passa a receber muitas curtidas e comentários que ficam dentro da linha de:

– Muito bom!

– Parabéns!

– Arrasaram!

Por mais que eles parabenizem João e sua equipe, não acrescentam qualquer informação útil à publicação, concorda? Por isso, diferencie-se da maioria e faça comentários bem construídos como vemos nos exemplos abaixo.

“João e equipe, parabéns pela iniciativa e pelo sucesso! Tive o mesmo problema com um site que fica sob a minha gestão, vou seguir esse mesmo caminho da auditoria para melhorá-lo! Obrigado!”

“Excelente, João! Não esperava menos de você e do seu time! As atualizações pegam a gente de surpresa, não é mesmo? Por isso, sempre as acompanho nesta página da Moz. Caso não a conheça, tenho certeza de que será de grande ajuda!” 

Claro que redigir comentários assim levam mais tempo porque requerem a sua análise e escolha certa das palavras. Por essa razão, é preciso ser bem estratégico em suas interações.

6. Analise os seus resultados

A estratégia digital do LinkedIn, quando se trata de uma conta pessoal, tem como principal objetivo fortalecer o perfil para fazê-lo alcançar os resultados que você espera.

Mas, como saber se está performando da forma adequada a ponto de fazer a sua marca pessoal crescer? Por se tratar de uma análise muito humana, executá-la é muito difícil. Por isso, o LinkedIn conta com uma ferramenta chamada Social Selling Index.

Ao checar o seu perfil, ele gera uma nota de 0 a 100 considerando os seguintes componentes:

  • estabelecimento de marca pessoal;
  • localização de pessoas certas;
  • interação oferecendo insights;
  • criação de relacionamentos.

Além disso, você também consegue ver qual é a pontuação média dos usuários que atuam no mesmo setor que você e os que fazem parte da sua rede. Dessa forma, é possível saber se você está abaixo, acima ou dentro da média e o quanto seus pontos subiram ou desceram na última semana.

Ao seguir esses seis tipos de estratégia digital no LinkedIn, você terá tudo pronto para destacar o seu perfil na plataforma. Mas, lembre-se de que esse é apenas o primeiro passo.

Para deixar o seu marketing pessoal ainda mais forte, é preciso ir mais a fundo nos conhecimentos. 

Se quiser aprender como construir sua marca na maior rede profissional do mundo, clique aqui para conferir todas as informações do curso de LinkedIn para Marcas Pessoais e tenha acesso a uma videoaula introdutória gratuita!

Dimitri Vieira

Dimitri Vieira

Sou um escritor e produtor de conteúdo, especializado em Escrita Criativa, Storytelling e LinkedIn para Marcas Pessoais. Minhas maiores paixões sempre foram a música, o cinema e a literatura. Escrevendo textos na internet, consegui unir o melhor desses três universos, e o que era um hobby acabou me transformando em LinkedIn Top Voice e, hoje, se tornou minha profissão.

Gostou do texto? Então, compartilhe.

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

E para receber os próximos textos em sua caixa de entrada, inscreva-se na Newsletter gratuita.

Leia também:

Comentários