conteúdo para o LinkedIn
conteúdo para o LinkedIn

Não sabe como criar conteúdo para o LinkedIn? Aprenda em 14 passos

Se você quer ter cada vez mais reconhecimento na sua área, é essencial estar presente no LinkedIn e produzir conteúdos na plataforma. No entanto, percebo que algumas pessoas ainda têm dificuldades em criar conteúdo para o LinkedIn, razão que me levou a escrever este artigo.

Por sinal, se você veio parar aqui por ter o mesmo problema, te convido a continuar a leitura. Afinal, simplesmente fazer publicações sem base estratégica alguma não é recomendável, pois os resultados esperados dificilmente virão.

Portanto, vejamos primeiro a importância de criar conteúdos no LinkedIn, quais são os seus principais tipos e, por fim, as etapas necessárias para essa criação.

Por que criar conteúdo no LinkedIn é importante?

O LinkedIn é a maior rede profissional do mundo, de modo que é recomendável ter uma presença forte nele para se destacar no seu nicho. Uma das formas mais eficientes de fazer as pessoas encontrarem e seguirem o seu perfil é criando conteúdos.

Da mesma maneira que redes sociais como Instagram e TikTok são mais usadas a fins de informação e entretenimento, o público do LinkedIn o utiliza para saber novidades sobre os seus mercados, além de dicas e histórias dos profissionais que fazem parte dele.

Logo, para se tornar parte desse grupo, é fundamental que você crie e publique conteúdos com regularidade e que sejam muito bons.

Quais são os tipos de conteúdo no LinkedIn?

O LinkedIn conta com diversos formatos de conteúdo que você pode usar nas suas ações editoriais. Separei aqui os principais que não podem faltar na sua estratégia:

  • post no feed: gera bastante engajamento na plataforma, permite não apenas postagem de texto, mas também foto, vídeo e arquivos pdf;
  • links: ideal para compartilhar blog posts ou mesmo artigos do próprio LinkedIn que tenham sido publicados anteriormente e ainda possuam relevância;
  • enquetes: além de gerar engajamento, também pode levantar insights sobre a sua audiência e mercado;
  • artigos: eles são ideais para fazer crescer a sua autoridade, pois permitem a criação de textos mais detalhados;
  • newsletter: uma ótima maneira de impulsionar as visualizações dos seus artigos, uma vez que os assinantes são notificados quando você publica um texto novo em sua newsletter;
  • lives: ao fazer transmissões ao vivo, você tem a oportunidade de levar conteúdo útil em tempo real ao seu público, sobretudo se contar com a presença de algum convidado especial.

14 passos de como criar conteúdo para o LinkedIn

A seguir, separei as etapas que você deve seguir para produzir os seus conteúdos de maneira estratégica e com chances de trazer os resultados esperados. Vamos lá?

1. Conheça o seu público

Antes de começar a produzir o seu primeiro conteúdo no LinkedIn, é preciso saber qual tipo de público você quer atingir. Portanto, o passo inicial é conhecê-lo muito bem.

Quem usa o LinkedIn para conseguir um bom emprego, por exemplo, poderá destinar as suas publicações aos líderes de empresas das quais gostaria de fazer parte, assim como representantes do RH dessas firmas (que, comumente, usam a rede social para prospectar novos talentos).

Já aqueles que planejam fortalecer a sua marca pessoal, precisam criar conteúdos tendo como base pessoas e organizações que sejam influentes na sua área de atuação, pois isso fará com que eles sejam bem vistos no mercado.

2. Defina a estratégia de conteúdo para o LinkedIn

Qual é o seu objetivo ao criar conteúdos no LinkedIn? Quais resultados você quer gerar por meio dessas publicações? Essas respostas são levantadas quando a estratégia é definida.

Primeiro, você precisa criar uma buyer persona, isto é, um personagem semi-fictício que representa a sua audiência. Ao contrário do público-alvo, que é bem vasto, a persona traz as informações de uma pessoa (tais como nome, idade, metas e desafios) para quem você deverá criar os seus conteúdos.

Em seguida, também será necessário montar a jornada dessa persona, ou seja, o caminho que ela percorre até conquistar o que tanto quer. Vamos ver um exemplo de persona e jornada para o entendimento ficar mais fácil?

Joana é gerente de RH, tem 32 anos, e trabalha para uma grande empresa. Ela usa o LinkedIn com frequência para se conectar com profissionais da área, além de buscar pessoas com o perfil certo para o quadro de funcionários da firma.

Assim, se o seu objetivo for conseguir emprego, é importante criar conteúdos que a Joana gostaria de consumir na plataforma, pois isso faz com que você seja visto como uma autoridade pelo seu público, o que aumenta as chances de uma contratação.

3. Monte um calendário editorial

Agora que você conhece bem o seu público e definiu a estratégia, o próximo passo, por fim, é começar a escrever, certo? Calma, ainda não.

Mesmo que você já tenha ideias e temas levantados para as suas postagens, é necessário montar um calendário editorial primeiro. Ele deve trazer os tipos de conteúdo que serão publicados, assim como os dias e horários.

Leve em consideração quais postagens a sua audiência mais gosta de consumir na plataforma e os horários mais acessados. 

Segundo uma pesquisa da Sprout Social, terças e quintas são os melhores dias. Já os horários mais estratégicos costumam ser nas primeiras horas da manhã (quando todos dão uma olhadinha na rede social), horário de almoço e final de expediente.

4. Tire proveito dos recursos da plataforma

O LinkedIn conta recursos que são de grande contribuição à produção de conteúdos. Como alguns não são tão conhecidos, destaco aqui alguns.

A começar pelo “Modo de criação” que você pode encontrar e ativar dentro de “Recursos” na sua página de perfil. Por meio dele, você consegue realizar lives e envio de newsletters para os seus seguidores.

Ademais, você também consegue medir o desempenho no seu perfil dentro do Social Selling Index (ou SSI) numa escala de 0 a 100 (sendo que 100 é a melhor pontuação).

Para calcular esse indicador, a plataforma considera a força da sua marca pessoal, o engajamento com as suas conexões, o nível de relevância e utilidade dos seus conteúdos.

Para ver qual é a sua pontuação, basta acessar a página oficial do Social Selling Index.

5. Programe as suas postagens

Por mais que você tenha o calendário editorial com os conteúdos feitos antecipadamente, assim como os dias e horários estabelecidos para publicação, nem sempre dá para segui-lo à risca. Afinal, há dias em que ficamos muito ocupados ou simplesmente esquecemos. Por isso, o ideal é programar as suas postagens.

Ao contrário de redes como Facebook, Instagram (via Estúdio de Criação) e Twitter, o LinkedIn ainda não conta com essa função. Logo, é necessário usar ferramentas de terceiro que permitem fazer isso, como o HootSuite.

Sua versão gratuita permite o cadastro de, pelo menos, uma conta de rede social e você pode escolher a do LinkedIn para programar as publicações em texto no feed. Dessa forma, você garante que o seu perfil sempre terá conteúdo, mesmo que seus dias estejam corridos.

6. Varie as suas publicações no feed

Os conteúdos do feed são os primeiros a aparecerem quando alguém abre o LinkedIn, tanto pelo computador quanto pelo celular. Por isso, quanto mais atenção você chamar nas suas postagens, melhor!

Como o LinkedIn é uma rede social para que as pessoas tenham mais interação, é recomendável ser o mais humano possível no feed. Mostrar bastidores da sua rotina de trabalho (desde que sejam interessantes) é uma estratégia bem atrativa.

Recomendar ferramentas, cursos e livros também funciona muito bem por se tratarem de dicas que podem ajudar as suas conexões. Além disso, por meio de plataformas como a Amazon, você ainda tem chances de ganhar comissões no programa de afiliados.

7. Escreva artigos

O feed não é o único espaço que permite postar textos, há também a opção de publicar artigos, em que você consegue trazer mais informações a respeito de um tema, e incluir elementos como imagens e vídeos ao longo da postagem.

Claro que isso exigirá mais tempo, por isso mesmo profissionais que têm destaque no LinkedIn não costumam publicar todos os dias, mas pelo menos uma vez por semana.

Como a quantidade de caracteres é maior que as que são disponibilizadas no feed, tire proveito dessa vantagem para trazer análises e casos de sucesso com muitos dados e detalhes para que seu público perceba o quanto você entende bem o seu nicho de atuação.

8. Produza vídeos seus

Conteúdos em vídeos vêm sendo cada vez mais consumidos na internet brasileira, tanto é que o YouTube ocupou o cargo de site mais acessado no país, deixando o Google em segundo lugar. Para não ficar de fora dessa tendência, você deve criar vídeos seus também.

No caso do LinkedIn, você pode postar vídeos no formato horizontal ou vertical para publicação no feed. Via de regra, são reproduzidos em silêncio, de modo que as pessoas precisam clicar para ativar o som.

Portanto, priorize subir vídeos na plataforma que estejam legendados e cujos segundos iniciais chamem bastante a atenção para que as pessoas interrompam a rolagem do feed para ver o conteúdo do seu vídeo.

9. Crie chamadas de ação nas suas postagens

Conseguir chamar a atenção do seu público no LinkedIn é uma grande vitória. Mas, e depois disso? A pessoa consome o seu conteúdo, volta para o feed e fim de papo? É importante criar um engajamento com ela na postagem, não é mesmo? Por isso, faça uma chamada para ação.

Também chamada de CTA (Call to Action), nela você convida todos que te acompanham a fazer alguma coisa depois de ler ou ver a sua publicação. Seguem abaixo alguns exemplos:

  • “Se acredita que essas informações podem ser úteis para as suas conexões do LinkedIn também, fique à vontade para compartilhar no seu feed.”
  • “O que você pensa a respeito deste assunto? Deixe um comentário para trocarmos uma ideia!”
  • “Tem alguma dúvida a respeito deste tema? Trabalho com isso, me mande uma mensagem e te respondo o mais breve possível!”

Claro que nem todos irão fazer o que você propõe no call to action, mas se ela estiver atrelada ao seu objetivo (conseguir emprego, fortalecer a marca pessoal, aumentar o networking, etc) e os resultados chegarem, será um ótimo sinal!

10. Use enquetes nas suas publicações

Como interação é uma das principais propostas de qualquer rede social, ela também é de suma importância no LinkedIn. O uso de enquetes no feed é uma das melhores formas de fazer isso.

Afinal, ela estimula as pessoas a participar com um simples clique para deixar a opinião a respeito de um tema. Não obstante, as pessoas também podem deixar curtir, comentar e compartilhar a enquete, o que faz aumentar o seu alcance.

Caso se trate de uma pesquisa sobre a sua área, a enquete também ajudará a entender os interesses do seu público, o que pode gerar insights para as suas próximas publicações.

11. Compartilhe conteúdos de outras pessoas

Geralmente, decidimos seguir alguém no LinkedIn por termos uma conexão na vida real ou por querermos acompanhar seus conteúdos que são de extrema relevância. Por isso, é importante não apenas produzir bons conteúdos, mas também compartilhar aqueles que são igualmente úteis.

Logo, toda vez que encontrar algo interessante enquanto navega pelo feed e que possa ser de grande valia às suas conexões, guarde o link da postagem e inclua-a no seu calendário editorial.

Além de ser um caminho prático de trazer bons conteúdos ao seu perfil, também pode criar laços fortes com a pessoa cujo conteúdo você compartilhou. Afinal, ao saber que você está ajudando sua publicação a atingir mais pessoas, poderá ganhar pontos com ela.

12. Interaja com publicações de outras pessoas

Curtir e comentar as postagens das suas conexões e pessoas influentes da sua área é uma das formas de se mostrar presente no LinkedIn, por isso também deve estar presente nas suas ações de conteúdo na plataforma.

Sendo assim, ao ver uma postagem interessante para o seu nicho, é estratégico curtir e comentar. Claro que o comentário não deve ser algo simplório e sem importância como um “boa”, mas sim um complemento à publicação.

Mesmo que leve alguns minutos para você pensar no que comentar, certamente valerá a pena, pois as pessoas que lerem o que você escreveu poderão ter interesse em se conectar ou seguir você para consumir os conteúdos do seu perfil.

13. Não crie fanfics

Todos gostamos de histórias incríveis, sobretudo se forem protagonizadas por quem nós conhecemos. Porém, algumas chegam a ser tão mirabolantes que acabam sendo categorizadas como fanfics.

No conceito do dicionário, fanfic é a abreviação de fanfiction, ou seja, uma obra de ficção feita por fãs, geralmente de alguma série ou filme de grande fama. O termo acabou caindo no LinkedIn por conta das histórias corporativas que, de tão incríveis, parecem mais fictícias do que reais.

Inclusive, a proporção de fanfics no LinkedIn se tornou tão grande que cheguei a apontar como conteúdos que repudiam fanfics também se tornaram fanfics.

14. Conte as suas histórias de sucesso

As histórias ligadas à sua profissão definem o nível de dedicação que você tem a ela, e também as capacidades que possui ao enfrentar desafios e apresentar soluções para eles. Por isso, é essencial que a sua audiência as conheça!

Alguma de maior destaque pode fazer parte do seu resumo disponível em “Sobre” no seu perfil. Outras mais breves podem ser compartilhadas no seu feed, enquanto aquelas que exigem maiores detalhes poderão ser temas dos seus artigos.

O sucesso delas não apenas chamará a atenção de quem você quer atingir (recrutadores de RH, influenciadores do seu nicho ou possíveis clientes, por exemplo) como também servirá como fonte de inspiração a todos que queiram seguir os seus passos.

Ao seguir estas 14 dicas, sua estratégia de conteúdo para o LinkedIn terá chances de conquistar resultados cada vez maiores, tal como os de pessoas que já possuem grande destaque na rede.

Aliás, se quiser se tornar uma delas, é essencial trabalhar bem a sua marca pessoal. Quer saber como? Então, confira o meu curso totalmente voltado para isso!

Sou um escritor e produtor de conteúdo, especializado em Escrita Criativa, Storytelling e LinkedIn para Marcas Pessoais. Minhas maiores paixões sempre foram a música, o cinema e a literatura. Escrevendo textos na internet, consegui unir o melhor desses três universos, e o que era um hobby acabou me transformando em LinkedIn Top Voice e, hoje, se tornou minha profissão.

Gostou do texto? Então, compartilhe.

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

E para receber os próximos textos em sua caixa de entrada, inscreva-se na Newsletter gratuita.

Comentários